Pular para o conteúdo principal

A PROXIMA INVENÇÃO DE STEVE JOBS


Ele não foi eleito o Homem do Ano em 2010 da Revista Time, nem nos últimos 10 anos. O único objeto a receber o prêmio, “computer”, ganhou em 1982. O Apple, de 1983, nada. Jeff Bezos da Amazon ganhou com justiça em 2003 e Bill Gates, pela filantropia, em 2005.

Ok, vamos deixar Mark Zuckerberg ganhar este ano e inflar mais sua Book Face enquanto o Steve Jobs continua criando e inovando. Ele é o “cara” dos últimos 20 anos. Depois de ser expulso da Apple em 1985, empresa que criou, mostrou seu talento e visão para o futuro criando em 1986 a Pixar Animation Films, que fez o Toy Story e revolucionou o mercado de animação. Em 1996 a Next, empresa de computadores criada por Steve com tecnologia inovadora, foi comprada pela Apple, e ele retornou, assumindo o papel de CEO como solução para uma empresa em crise. Enquanto os outros só pensavam em lucro, ele mostrou que o fundamental é a ideia, o design, funcionalidade e simplicidade. Basta ver suas criações dos últimos vinte anos:

Macintosh (1984), iMac (1998), iPod (2001), iTunes (2003), Iphone (2007), iPad (2010).

Com simplicidade e genialidade Steve Jobs aproximou a computação pessoal de nossas casas, vidas, cotidiano. Qualquer criança ou pessoa com medo de computador lida fácil com suas invenções. Ninguém precisa de manual para mexer num iPad ou iPhone. È fácil, prático. Sem armadilha de software caros ou atualizações intermináveis.

Se estamos tão conectados e interagindo pela web a todo momento, com oportunidades e informação acessível como nunca se teve, só temos que agradecer a essa filosofia de quem soube “ganhar o jogo” de forma limpa, sem usar táticas escusas ou poder financeiro.

Nem curso superior Steve Jobs tem. Filho adotado, não pode concluir o curso por falta de grana. Existe um vídeo conhecido de um discurso seu para alunos formandos de Stanford (link ao final) em que ele fala de três coisas importantes. Uma delas é: “a única maneira de fazer um bom trabalho é você amar o que você faz”. Esta foi a receita dele para superar diversos obstáculos, entre eles um câncer, e seguir em frente.

Para os velhos usuários de computador como eu (desde tempo de d.o.s, monitor cga, vídeo verde, impressora matricial, disco de 5 e ½ polegadas e outras raridades), Steve parece sempre estar um passo adiante. E o que ele inventa impressiona pela beleza, obviedade e eficiência.

A galera que sabe das coisas só quer saber mesmo da próxima invenção de Steve Jobs. Até mesmo os pczeiros velhos de guerra como eu que relutam e ainda não mudaram para o mundo Mac.

Ilustração:Steve Jobs for Fortune magazine - 2007 - Illustration: Tsevis Visual Design


Palestra Steve Jobs – Stanford
Fontes:
http://history1900s.about.com/od/people/a/Man-Of-The-Year.htm
http://www.computerhope.com/history

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…