Pular para o conteúdo principal

TIPOS INESQUECÍVEIS DE TUITEIROS


Twiter não é chiclete nem novo hit das rádios mas pegou legal no Brasil. Dados do Sysomos já colocam o Brasil com segundo maior número de usuário, atrás apenas dos EUA. E em números de tuitadas estamos em terceiro.

Entre os assuntos mais falados no mundo no twitter em 2010 encontramos temas variados como: Derrame de óleo no Golfo, Copa do Mundo, Ipad, Android, Justin Bieber, Harry Potter e outros (fonte: twitter) .

A repercussão de um tuiteiro pode ser instantânea e atravessar as mídias rapidamente como um rastilho de pólvora, mesmo a apenas 140 caracteres por tuitada.

Tuiteiro gosta de fazer barulho. A pessoa pode ser tímida e soltar o verbo na hora de dar seu recado. Nessa tuitesfera se fala muito, critica-se, correm fofocas, surgem reclamações e discussões longas. mas todos se solidarizam e engrossam o coro quando acontecem tragédia ou movimentos populares fortes.

Os bastidores  fazem o grande cenário desta massa que se aglomera e  flui de forma incontrolável e espontânea. São  pessoas comuns por trás de teclados, vídeos e celulares anônimos que compõem esta grande orquestra louca.

Aqui vai uma fictícia e bem humorada galeria destes  personagens  que fazem desta ferramenta uma arena dinâmica e divertida:

RAPIDINHO
– É aquele compulsivo que tuita de minuto em minuto, pipocando seguidamente na sua tela como um zumbi.

FOFA – Vive elogiando tudo e todos. Lindo, maneiro, fofo, fofa, amei!. Ama tudo incondicionalmente.

CARENTÃO – Não segue ninguém mas faz qualquer coisa para arrumar mais seguidores, fazendo contas e bolando estratégias para aumentar seu volume de tráfego.

MIADORA – Adora especular sobre a vida, tem crises existenciais toda hora, filosofa sobre a doçura dos animais e a insensibilidade dos homens.

REPLICANTE – Adora dar reply e mandar mensagens e ficar trocando recados indefinidamente,  como uma vitrola com disco arranhado.

MEBYMYSELF – Só pensa no próprio ego. Sempre começando seus tweets com Eu fiz, Eu sou, Eu vou, Eu vi, Eu acho. Muda foto do perfil e bio toda semana

ANTENADO – Fica, igual à  uma barata tonta, pulando de um gadget/aplicativo para outro. Não fala, só avalia ou opina.

MEUDIÁRIO
– Não desliga o twitter narrando tudo ao vivo “acabei de chegar na ,”estou indo”,”vou dormir”, “fui”, suas tuitadas tem no máximo 14 caracteres.

ANIMADÃO
– Só quer saber de festa e agito, e andar em grupo. Usa gif animado e convida  todo dia convida a galera para uma “parada imperdivel”.

PARANÓIA – A pessoa bloqueia seu twitter para garantir a privacidade, tem medo de quem manda mensagem, quase não acessa e não sabe como cancelar sua conta.

Estes são apenas alguns das dezenas de perfis de uma tribo muito variada e criativa que usa este aplicativo como  tribuna, palco e festa. Uma das razões do sucesso do twitter  no Brasil se deve ao pique deste pessoal que com sua sinceridade,  alegria, zoeira e descontração animam nossa vida virtual.

Mas é bom avisar:  Empresas, Políticos, Artistas e Personalidades,  tomem cuidado com esta turba digital. Na hora de reclamar eles mostram sua força e exigem  seus direitos em um grito coletivo que faz eco em toda a web.
(publicado também na webdialogos)

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…