Pular para o conteúdo principal

SER OU NÂO SER DIGITAL


Nesta era de pessoas 2.0.1.1, não sabemos mais quem é mais de carne e osso do que digital ou virtual. Responda as perguntas a seguir e determine os seus níveis de digitalização e interação pessoal.

Ao completar o teste você também descobrirá qual filme de ficção científica determina melhor o índice cibernético de sua vida atual:

1) Como você vai marcar as respostas deste teste?

A) Com lápis ou caneta;

B) Pelo celular.

2) Você  checou sua caixa de mensagem de e-mails há menos de meia hora atrás?

A) Sim;

B) Não.

3) Qual dessas duas coisas você costuma fazer em primeiro lugar?

   1. Checar a bateria do celular e depois ligar para namorada(o)
   2. Ligar para namorada(o) e depois checar a bateria do celular

A) Opção 1;

B) Opção 2.

4) Como você costuma falar mais com seus amigos(as)?

A) Mensagem de texto ou Facebook ou Twitter.

B) Pessoalmente

5) Depois que você larga o computador o que você costuma fazer?

A) Ver tevê ou mexer no celular;

B) Ir para rua ou ligar para alguém.

6) Quando foi a última vez que você leu num livro de papel?

A) Entre 1 mês a 12 meses atrás;

B) Mais de 1 ano.

7) Você trocaria um mês sem web, Google, Facebook ou Twitter por uma estadia em uma ilha paradisíaca sem compromissos e nada eletrônico?

A) Não sei, não;

B) Com certeza, sim.

Bem, chegou a hora da verdade.

Como sua mente já  deve saber, o número de respostas com a letra A determina o nível cibernético na sua personalidade, e seu respectivo filme/autobiográfico:

7  pontos –  EU, ROBÔ. Você já virou um robô andróide e não sabe mais se desligar. Dê um reset geral e faça o teste de novo até conseguir reativar alguma coisa humana nesta carcaça biônica.

5 a 6 pontos – EXTERMINADOR DO FUTURO. Se você não tomar cuidado, vai eliminar tudo que ainda resta de sentimentos e emoções em você para completar o processo. Para maior segurança, isole-se ou mantenha distância de sua família, animais domésticos e aparelhos eletrônicos por um bom tempo.

3 a 4 pontos -  CAÇADOR DE ANDRÓIDES
. No seu interior ainda sobra uma fração humana. Você fica dividido sobre o que é ser humano, mas ainda entende seus instintos animais. Caia na real, volte logo a ser uma pessoa comum e divirta-se com suas neuroses e defeitos como qualquer ser vivente.

0 a 2 pontos – PERDIDOS NO ESPAÇO. Você ainda confunde robô com enceradeira ou liquidificador. Valorize  o que você tem de humano e fuja com sua família para um planeta em uma galáxia distante.

publicado no pontomkt

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…