Pular para o conteúdo principal

USE A CRIATIVIDADE NO DIA A DIA


Os grandes momentos criativos são bons, mas são poucos, talvez rápidos e difíceis de repetir. Estudiosos analisam inspirações e insights e traçam teorias enormes sobre  aqueles estalos que mudaram vidas e  personalidades de artistas de várias áreas.

Mas talvez o verdadeiro toque criativo esteja na maneira que encaramos nossa “dura” realidade diária.  Ou seja, falamos aqui da rotina dos milhões de seres comuns que formigam pelas ruas.

Nós que trabalhamos com comunicação então deveríamos pensar no valor destes pequenos gestos do cotidiano. Dar um bom dia, brincar um pouco mesmo que se perca tempo, reconhecer o valor dos outros, estranhos ou conhecidos.  Ser educado por prazer e não obrigação. Inventar ou arriscar coisas incomuns, mas humanas, gerar gentileza.

A criatividade deveria efetivamente ser principalmente aplicada nestes gestos e atos que repetimos tantas vezes que não dos damos conta do que estamos fazendo. Neste caso, clientes são todas as pessoas do mundo, assim como equipe de trabalho pode também ser qualquer um que você bata um papo, mesmo um desconhecido na rua.

Se está numa fila qualquer, porque não puxar assunto com um estranho(a)? Conte uma história para uma criança, mesmo que você invente tudo. Está irritado, então se force a pensar em algo realmente engraçado e fazer também alguém rir.

Reclamamos tanto da vida, dos outros, do tempo, do trânsito, da chuva. E o que fazemos para quebrar este gelo e tentar virar o jogo? Quando todos estão felizes é mais fácil entrar no jogo.

A famosa pausa para um cafezinho, o que é se não um mero momento de descontração ritualizada pelo brasileiro?  Mesmo durando poucos minutos mas certamente pode ser considerada cena certa nos melhores momentos e papos do dia. Que o digam o pessoal que até café virtual toma no @ClubeDoCafeMKT

Portanto, que tal tirar a criatividade da prancheta, das telas, dos tablets, smartphones e usá-la um pouco ao ar livre de forma inesperada? Procuramos tanto a tal da inspiração e enquanto isso a respiração é quem nos mantém vivos, minuto a minuto.

Portanto, meus amigos, respirem fundo, mudem um segundo, mudem um minuto de suas vidas com criatividade (vale tudo que engane seu velho e desgastado modus operandi:  abrace um amigo, beije sua mãe, chore na novela, caia de roupa no mar, cante no elevador, jogue bola com os garotos do sinal, declare seu amor de novo para ele(a), escreva  um bilhete pra você daqui a dez anos e esconda, revolucione suas relações, adote um cachorro ou gato perdido, enfim qualquer coisa que efetivamente quebre a rotina, a vidraça, e abra novas paisagens para sua mente e coração.

Pode não vir nenhuma ideia nova disso mas o vento que vier disso certamente vai dar um pequeno sopro de vida.

@robertotostes
publicado também na PontoMkt

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…