Pular para o conteúdo principal

SUA CABEÇA PODE SER UM AEROPORTO DE IDEIAS


Quer ter mais ideias? Então abra espaço na sua mente. Você já pensou que pode aumentar e organizar este processo, combinando criatividade e organização?

As inspirações estão por aí, em qualquer lugar, mas precisamos criar as condições certas para cuidar delas. Como um aeroporto, a sua cabeça precisa ter estrutura e tráfego organizado.

Você pode até já ter uma pequena pista de terra batida para decolagem e aterrisagem. Mas, e se quiser mais movimento e produção? Ao organizar o processo, você irá receber melhor os rascunhos, insights e qualquer centelha de projeto criativo. Tudo é uma questão de fluxo e identificação. À medida que novas ideias forem chegando, você poderá aprender a separá-las e guardá-las.

Entre os milhares de pensamentos que passam na sua cabeça diariamente, alguns precisam ser separados e transferidos para uma área de decolagem. No momento certo você poderá analisar e avaliar aqueles que podem levantar vôo.

Nosso cérebro é multitarefa, racional e irracional. Sua parte lógica está lendo este texto, mas é preciso também mexer também com a parte intuitiva, sacudir seu inconsciente, mergulhar no fundo do poço.

Sua cabeça deve ser treinada para separar as mínimas reações potenciais do que pode gerar um processo criativo:  um desenho, uma palavra, um diálogo, uma pergunta, um olhar, um grito, um filme ou livro, uma frase lida na rua, muro, cartaz, um gesto ou cena de alguém desconhecido, um objeto qualquer.

Aja rápido. Registre e identifique: desenhe, rabisque, anote, faça um mapa mental, use cores, colagens, fotos. É o ato de separar e classificar estes instantes que vai torná-los visíveis e possíveis de guardar, tirando-os do tráfego acelerado de imagens, palavras e signos  que se perdem a cada segundo entre tantos pensamentos.

Aos poucos você perceberá que destes fluxos constantes você pode extrair mais possibilidades. E saberá identificar, avaliar e preparar as ideias que tem a chance de decolar.

Qualquer ato criativo precisa conjugar bem dois aspectos, lado esquerdo e direito do cérebro, criação e organização, erro e acerto, trabalho e finalização.

Organizar não é limitar a criatividade, é direcioná-la. Prepare sua cabeça para funcionar de dia e noite, com sol ou chuva, atenta ou distraída, sonhando ou desperta.

Um aeroporto não pára, uma mente criativa também não. Esta é a base essencial para quem quer alçar grandes vôos.

@robertotostes
publicado também na PontoMkt

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…