Pular para o conteúdo principal

O Bom do Carnaval





Há milhares de anos essa festa vem dando o que falar.  Tudo de novo. Euforia, exagero, quem entende essa empolgação toda em que tudo pára por vários dias seguidos? 

Gostando ou não do Carnaval, por que não aproveitar o melhor que estes dias de folia tem a dar?
Seguem algumas sugestões para carnavalizar seus dias:

- Saia em um Bloco
Se não vê a hora de ir para a rua ao som da multidão, embarque nessa.  Se você não sabe em qual bloco ou banda vai sair, pelo menos não fique parado. Use toda essa energia guardada  para começar ou terminar algo e corra atrás de você mesmo.

- Fantasie
Um pouco de humor e criatividade renova as pessoas. Se não vai sair por aí mostrando sua fantasia e suas caretas para os outros, experimente pensar e agir em coisas inusitadas. Saia do sério e quebre a rotina.

- Libere a Alegria
Deixe a lógica de lado e tente rir do nada. Mesmo que fique em casa ou debruçado sobre um bloco e caneta você pode escrever , rabiscar ou criar coisas inesperadas. Ria de si mesmo e dos outros.

- Compartilhe a felicidade
É uma hora boa para soltar o lado criança, o lado coletivo, assuma que é apenas mais um na multidão. Preste atenção ou fale com gente desconhecida, brinque com crianças, dê atenção a gente carente ou solitária. Animação não precisa ter lógica, mas contamina e faz os outros sorrirem.

- Viva o momento,
Depois de passar o ano com tantas preocupações, compromissos, porque não chutar tudo para o alto? Adeus relógio, rotinas,  regimes, restrições. Sinta-se leve e deixe as coisas simplesmente acontecerem.

- Entre no ritmo
As músicas mexem com nossas emoções. Escolha a sua trilha sonora. Emocione-se, busque as memórias mas fortes ou antigas. Deixa o coração acelerar mesmo. No meio de tanta farra tudo que precisamos é menos tensão e mais espontaneidade. Dance por tudo aquilo que te segurou o ano inteiro.

- Relaxe e divirta-se
Se é para sair do sério e descontrair, siga sua intuição. Não se sinta obrigado a nada. Se quiser apenas dormir, durma. Sonhe e faça as coisas sem se preocupar com o que os outros pensam ou esperam. Na multidão da rua ou em casa, no fundo você está sozinho. Cuide bem de você mesmo. 

O Bom do carnaval é pensar que tudo pode valer a pena. Cada um na sua e todos numa boa.
Se quer se acabar neste dias, vá em frente. Se você quiser só relaxar, tudo bem.

#carnaval

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…