Pular para o conteúdo principal

O que Você Deve (e Não Deve) Fazer no Linkedin


Uso e gosto muito da Rede Linkedin, onde você pode trocar informações, participar de debates, divulgar seus textos, acompanhar empresas e conhecer novas pessoas de sua ou de outras áreas do mercado.
Seguem algumas sugestões básicas no uso desta rede a serem seguidas para valorizar e não prejudicar sua imagem profissional:


Imagem

Vale um tom sério e profissional por ser uma rede de contatos focada em profissões, empresas e negócios
Não coloque foto de óculos escuros, bonés, chapéus, trajes estranhos ou inadequados.
Coloque uma boa foto, e mostre a sua cara de forma simpática e real.


Currículo

Não adianta abusar de conteúdo. Diga apenas o essencial. Evite o uso de palavra chavão como “sólida formação” e termos muito usados. Use poucas palavras e cite menos experiências para ter uma leitura mais fácil e objetiva.

Esteja presente e ativo

A questão principal não é o tamanho da sua rede de contatos. Vale a qualidade e o uso que você faz dela. O principal é participar, mostrar opiniões, argumentar e interagir.

Entre em grupos de interesse e use-os bem

Os grupos do Linkedin são um ótimo espaço de convivência. Mas saiba respeitar as regras e não usá-los apenas como promoção pessoal ou de negócio.
Muitas pessoas e empresas abusam do auto-merchandising.
Não é bom colocar um comentário remetendo para um texto ou post seu ou link de produto ou serviço. Apenas coloque sua opinião ou participe do debate, sempre de forma cordial e simples.

Mensagens pessoais ou genéricas por e-mail

Muito cuidado com mensagens diretas ou generalizadas para sua rede de contatos. Use apenas em caso de necessidade ou de forma esporádica. O e-mail pessoal é um espaço particular. Ao invadir esta privacidade você pode ter uma reação negativa contrária


Recomendações

Não abuse deste recurso e nem solicite as pessoas que o façam. Se a participação for espontânea será mais verdadeira e de maior valor.

Personalize suas mensagens

Procure não repetir as mesmas mensagens de Twitter e Facebook no Linkedin. Dê um toque mais pessoal na chamada ou descrição. Se for o caso, direcione sua mensagem ou texto ao(s) grupos(s) relacionado aquele assunto. Acompanhe os comentários e também comente outras notícias e mensagens.


Visite com frequência a rede

Não adianta apenas se inscrever e interagir pouco ou só de vez em quando. Crie um hábito de acessar sempre esta rede. As oportunidades de carreira e negócios podem surgir conforme sua atuação e frequência nesta rede.


Personalize suas configurações.

Não deixe o Linkedin apenas nas configurações básicas padrão. Ele permite que você adapte sua participação ao seu gosto, configurando a frequência dos e-mails e outros detalhes sobre sua participação nos grupos.


Ou seja, não fique apenas nas ações básicas nem seja um usuário passivo. Use com atenção e conheça as vantagens que esta rede oferece.

Desta forma você fará mesmo o Linkedin trabalhar por você.

twitter: @robertotostes

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…