Informação, Conhecimento e Poder




A realidade parece se transformar cada vez mais rápido mas certas coisas não mudam.

Em toda a história do homem sempre houve algo para perguntar ou informações para descobrir sobre alguma coisa ou alguém.

Hoje acessamos em questão de segundos o Google, a Wikipédia e outros sites, mas durante milhares de anos foi preciso apelar a tabuletas, papiros, livros, sábios, gurus, xamãs, bruxas  e outros recursos de informação.

A procura não pára nunca. Daí o sucesso natural do Google, que se alimenta desta curiosidade e da quantidade de conhecimento que acumulamos.

Ele descobriu nosso ponto fraco: na verdade não sabemos quase nada.

Na Idade Média as enciclopédias eram pensadas como o livro dos livros, a soma de todo o conhecimento.

Agora temos isso ao alcance das mãos e continuamos sem saber o que fazer com tanta tecnologia e informação.

Os robôs pesquisadores dos mecanismos de busca ficam cada vez mais inteligentes e além de vasculhar nossos dados pessoais e ações podem um dia substituir tarefas e trabalhos que são nossos.

Se a informação tem cada vez mais poder, o problema talvez seja o poder da informação nos subjugar e dominar.

Em qualquer tempo e realidade, nosso maior saber continuará sendo a capacidade de improvisar e criar algo novo, do nada, e nossa necessidade de compartilhar e dividir nossos pensamentos e emoções.

@robertotostes


Postagens mais visitadas