Pular para o conteúdo principal

O QUE ESCRITORES DEVEM FAZER NA ERA DIGITAL


A revoluçāo está cada vez mais veloz na web e nas telas,  e agora começa a afetar também aqueles que vivem de palavras e papel.

Não dá mais pra ficar trancado na torre ou se isolar do mundo. O escritor agora precisa mostrar a cara e interagir.

Gostando ou não, a grande batalha está sendo travada na web. Independente  de credos e ideologias,  esta é a arena dos nosso dias, dos fatos que vão definir nossos futuros e nossas vidas.

Portanto, escritor, escreva a sua história e marque seu espaço na web:

1) Conecte-se
É essencial sentar ou digitar num computador, laptop, tablet e até um smartphone. De qualquer forma precisamos estar ligados no que acontece neste universo, para ver e ser visto, ler e ser lido.

2) Produza
Digitar é preciso. Aproveite  a vantagem e a possibilidade de  escrever  e gere idéias  e textos onde estiver,  em qualquer lugar a qualquer momento.

Produza desde textos longos a  crônicas, posts, comentários, até textos de poucos caracteres no twitter.

3) Exponha-se
Pra ficar conhecido você tem que mostrar quem é, o que pensa.  Coloque seus textos em blogs, revistas, websites, escreva  cartas, grave vídeos ou sua voz em podcasts e leituras de sua obra.
Na web você está no meio de uma mídia contínua. Crie a sua própria e faça seu público.

4) Sem intermediários
Você está só. Quem decide o que fazer da sua vida não são mais as editoras, os agentes literários, as livrarias, ou qualquer tipo de intermediário.  Se já encontrou ou está procurando seu público, siga em frente e escute. Cada voz é única e vale por milhões. Com tudo de bom e confuso que vier, o canal a partir de agora é direto. Aceite da mesma forma vaias e aplausos.

5) Publique-se
O desafio da distribuição e das vendas continua mas nunca foi tão fácil publicar. Os meios digitais chegam aos tablets, PCs, Macs,  netbooks, laptops e até celulares de diversas formas. – ebooks, epubs, PDFs, e  os tradicionais livros de papel que podem ser produzidos por demandas  - em pequenas tiragens.

É a oportunidade de se publicar como nunca se fez antes. Você pode até mostrar a coisa em processo, ouvir opiniões, mudar de idéia, fazer co-criações, enfim, muitas possibilidades .

6) Divulgação/ Interação

Na internet  é fundamental  fazer as conexões certas, de pessoas que você conhece, confia,  admira ou reconhece o trabalho.

Monte aos poucos sua própria rede, de contato em contato, trocando, interagindo, sem problemas de tempo, espaço e disponibilidade que costumamos ter.

Construa e aperfeiçoe seu canal próprio de distribuição, que será multiplicado por muitos outros, e terá muito valor.

7) Estratégia
Todos os itens anteriores dependem de uma linha geral, de um rumo. Isso envolve seus estilos, suas ideias, seus sonhos. Mas quanto mais organizado e focado melhor.

Você pode sobreviver sozinho, mas também pode ser orientado por outras pessoas.
Seja como for, nunca passe totalmente o controle.

A decisão final e as grandes decisões devem ser suas.
Na web o tempo é instantâneo e passa ainda mais rápido.

Seja como for, não adie seus planos.
Comece de alguma forma, mas faça agora.




@robertotostes

Texto publicado também no Revolução EBook

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…