Pular para o conteúdo principal

Por que o Currículo é Vital?



Se o currículo é vital, muito cuidado com o que você escreve sobre você mesmo (a).

Tem coisas que não cabem  em uma folha de papel. Estão de forma sutil em um jeito, num olhar, numa forma de perceber e lidar com as coisas que não se ensina ou se aprende de forma fácil.

Ser verdadeiro é ser e estar inteiro numa coisa. Para isso nunca existe meio termo.

Portanto desconfie do que te empurram, do que te prescrevem, do que te determinam, do que te exigem. 
Pense mais no que você quer do que naquilo que os outros esperam.

O maior valor seu será sempre não o que você cursou ou onde esteve mas,  mas sim o que você é neste exato momento. 

A maneira como você reage ao mundo não mente.
Saber o que você é determina melhor que qualquer foto  a imagem que vale mais no curriculum vitae.

Na história de muita gente sempre o mais árduo foi encontrar a própria cara neste buraco de identidade que é nosso próprio eu.

Ser verdadeiro e lutar por isso só traz dificuldades e questionamentos. Escolher carreiras, empresas, sonhos, pessoas, países, e decidir por nós mesmos é sempre mais complicado.

Saber mesmo o que queremos e dedicar sua vida a isso amedronta.
O salto é mais longo, o perigo é maior, a angústia é mais demorada.

Mas viva por isso, arrisque e faça seu coração bater mais rápido.
Nunca desista, nunca pense que não pode recomeçar ou mudar de ideia lá na frente.

A estrada e o horizonte sempre estarão à frente, nunca perdidos atrás de você.
O tempo nas nossas mãos sempre será elástico, como fazer e bater uma massa. Passado e futuro vão e voltam, trocam de lugar, sempre misturados neste processo de farinha, água, massa e pão.

A velocidade e a volatilidade das coisas que vemos no mundo atual, cada vez mais virtual, só nos relembram que tudo mesmo se desmancha no ar. A fumaça a neblina se esvaem e continuamos ali, nós e nós mesmos.

No meio da multiplicidade de pensamentos e emoções, o silêncio é que nos diz o caminho para retornarmos ao que somos verdadeiramente.

Um currículo ou um diploma pode abrir portas e oportunidades, mas o valor primordial estará em você, em carne e osso.

Como você expressa e discute suas ideias, nas palavras que você diz, no chão que você pisa, no gestual e na forma que você se relaciona com os outros.

Seu currículo é você. Nenhuma entrevista ou prova dirá algo melhor do que isso.


@robertotostes

Baixe o meu livro grátis  - Escrever e Blogar –
Formato PDF.  http://goo.gl/u2iUuo 

Postagens mais visitadas deste blog

Novo Projeto - Jogo com Aventura e Ecologia

Olá amigos e amigas,

Após 18 meses de desenvolvimento, Sobrevivência na Amazônia - está na fase final de desenvolvimento. É um projeto independente de boardgame que procura combinar aventura e ecologia. Ele será lançado em financiamento coletivo - em breve. Na página dele serão dadas notícias e informações do andamento do projeto. O vídeo de lançamento dá uma ideia do conceito geral. Conto com o apoio de todos para divulgar e compartilhar!



#boardgame #amazonia #ecologia

Escritores na Era Digital - Quem somos e para onde vamos?

Caros amigos(as) Estou realizando uma pesquisa sobre o "Escritor(a) na Era Digital". Elaborei algumas perguntas e um questionário na web (via Google Docs). A pesquisa tem como objetivo levantar informações sobre: ser escritor(a), rotinas de escrita e leitura, meios de publicação, divulgação e presença na web. Espero com as respostas poder fazer um quadro de como os escritores/escritores estão se posicionando/adaptando neste momento de tantas transformações. Conto com seu apoio e participação

Segue o link:
http://goo.gl/forms/0JTYDWOAzPTl6Cjj2

Qualquer dúvida falem comigo:


att

Roberto Tostes

Quando pessoas viram marcas e marcas viram pessoas

Vivemos em uma época em que cada vez mais marcas querem parecer humanas e pessoas querem se tornar tão fortes quanto marcas. Isso não deixa de trazer uma certa contradição. Empresas e corporações nunca terão a imagem espontânea de pessoas de verdade. E pessoas, mesmo famosas e conhecidas, podem cair em armadilhas quando se preocupam demais com marketing, público-alvo e poder de vendas. Quando foram criadas, muitas marcas nasceram da iniciativa individual de empreendedores que construíram negócios como Ford, Hewlett-Packard (HP), Ferrari, Johnson, Granado (Brasil) e outras pessoas. Depois do auge da era industrial, as fábricas passaram a entrar em um processo mecanizado, produção em série, grandes unidades e produção em massa. As marcas modernas substituíram as antigas relações diretas entre o artesão e o consumidor, da loja ou do armazém da esquina. Para conquistar e fidelizar essa massa de consumidores vieram os recursos de marketing, design e publicidade. Os anos 50 mostram bem isso…